Seguidores

segunda-feira, 26 de julho de 2010

Aprenda a medir a circunferência da cintura

Acúmulo de gordura na região abdominal aumenta risco de doenças do coração
Cuidado com a barriguinha
O excesso de peso, medido por meio do IMC, ou índice de massa corporal, não é o único risco para a saúde. A localização da gordura no seu corpo também é. Se você acumula gordura principalmente na região abdominal - ao redor da cintura-, estará mais propenso a desenvolver doenças do coração do que se a maior parte da gordura estivesse nas coxas e quadris. Isso vale mesmo se o seu índice de massa corporal estiver na faixa considerada normal. Mulheres com cintura acima de 88 cm, ou homens com cintura superior a 100 cm têm mais chance ter algum problema do coração.
O risco de existir ao menos um fator clássico de risco coronariano aumenta consideravelmente quando a medida em homens ultrapassa 104 cm e em mulheres ultrapassa 88 cm (odds ratio: 2,6). Embora o estudo, aceito universalmente, não tenha sido realizado com a população brasileira, o limite de circunferência abdominal nos vários estudos varia de 95 a 105 cm.
Para medir a circunferência da cintura, coloque uma fita métrica em volta do abdômen nu um pouco acima do osso do quadril. Certifique-se que a fita esteja justa, mas não a ponto de comprimir sua pele e esteja paralela ao solo. Relaxe, exale, e meça a sua cintura.
Fernando Fischer / texto: Vanessa de Sá
Sport Life

3 comentários:

  1. Eliane, muito legal o seu blog! Comecei a "malhar" há uma semana e sinto no corpo e na mente a diferença! Posso dizer que minha vida mudou...rsrs.
    Que Deus continue abençoando sua vida e usando seus dons para abençoar a vida do próximo!
    bjos.

    ResponderExcluir
  2. tenho 1,73 de altura e nas costelas, abaixo dos seios tenho 82 cm, na cintura vou ter menos??? só arrancando alguma coisa lá de dentro, kkkkk
    Dá não, estas medidas são surreais pra uma pessoa média-alta, nem minha irmã caçula, mais alta e magra teria condições de ter esta medida de cintura, somos humanas e não bonecas...

    ResponderExcluir